A curcumina como agente anticancerígeno e seus derivados

Tempo de Leitura: 2 minutos

O câncer é a segunda causa de morte no mundo e um dos maiores problemas de saúde. A curcumina, o ingrediente ativo da Curcuma longa, tem recebido grande atenção nas últimas duas décadas devido aos seus efeitos como antioxidante, anti-inflamatório, e agente anticancerígeno. 

Curcumina como agente anticancerígeno

A curcumina tem mostrado efeitos anti cancerígenos consideráveis contra vários tipos diferentes de câncer, incluindo próstata, câncer de mama, câncer colorretal, câncer de pâncreas e câncer de cabeça e pescoço, tanto in vitro quanto in vivo. Além disso, sua eficácia e segurança em pacientes com câncer, isoladamente ou em combinação com outros agentes anticancerígenos foi comprovado em vários estudos clínicos com seres humanos. 

Acredita-se que a curcumina exerça sua atividade anticancerígena por meio de múltiplos mecanismos, interferindo com diferentes vias e induzindo/inibindo a produção de vários tipos de citocinas e enzimas como MAPK, EGF, NFκB, PKD1, COX-2, STAT3, TNF-α e IκKβ. No entanto, a aplicação anticancerígena da curcumina tem sido limitada principalmente devido a sua baixa solubilidade em água, o que resulta em baixa absorção celular e baixa biodisponibilidade oral, bem como baixa estabilidade química. 

Para superar essas limitações, diferentes abordagens têm sido feitas, como a modificação estrutural. Os principais componentes que contribuem para a atividade biológica da curcumina são conhecidos por ser o grupo doador de hidrogênio, a fração β-dicetona e os anéis fenil. A modificação química dessas porções levou a derivados de curcumina com maior eficácia e/ou maior solubilidade e estabilidade em água. Além disso, vários tipos de sistemas de entrega foram desenvolvidos para entrega de curcumina a células cancerígenas, usando uma variedade de polímeros, lipídios ou proteínas naturais ou sintéticos, alguns dos quais melhoraram a estabilidade e/ou absorção celular da curcumina, dando origem a uma resposta anticancerígena mais forte. 

Prática clínica 

Os principais mecanismos de ação pelos quais a curcumina exerce atividade anticancerígena incluem a indução de apoptose e a inibição da proliferação e invasão de tumores, pela supressão de uma variedade de vias de sinalização celular. Vários estudos relataram a atividade antitumoral da curcumina sobre câncer de mama, câncer de pulmão, carcinoma espinocelular de cabeça e pescoço, câncer de próstata e cérebro, mostrando sua capacidade de atingir várias linhas celulares de câncer. No entanto, as aplicações da curcumina são limitadas devido à sua baixa solubilidade em água que resulta em baixa biodisponibilidade oral e também em baixa estabilidade química. 

Referências bibliográficas 

Sugestão de estudo: O papel da curcumina no envelhecimento e na senescência

Assista o vídeo na Science Play com Rodrigo Abdala: Cúrcuma LongaArtigo: CúrcumaTomeh MA, Hadianamrei R, Zhao X. A Review of Curcumin and Its Derivatives as Anticancer Agents. Int J Mol Sci. 2019;20(5):1033. Published 2019 Feb 27. doi:10.3390/ijms20051033

Nos siga nas redes sociais

Mais lidas

Próximos eventos

Artigos relacionados