Refluxo Gastroesofágico: Funciona o Tratamento com Aloe Vera?

Tempo de Leitura: 3 minutos

A doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) é uma das doenças gastrointestinais mais comuns, sendo caracterizada como uma doença crônica, recorrente e progressiva associada a uma ampla variedade de complicações esofágicas. Sendo que sua sintomatologia inclui queixas de azia, regurgitação alimentar e ácida, flatulência, eructação, disfagia, náusea e vômito. Ou seja, o dano da mucosa provocado pelo refluxo gástrico significa que a DRGE ocasionalmente apresenta sintomas semelhantes aos da síndrome do intestino irritável, podendo os diagnósticos serem comumente confundidos. 

Para o tratamento da DRGE geralmente é prescrito medicações que atuam como inibidores da bomba de prótons ou os bloqueadores dos receptores H2. No entanto, apesar de seu efeito comprovado e uso generalizado, podem induzir o desenvolvimentos de quadros como hipocloridria e condições cardíacas, fazendo-se necessário a identificação de remédios naturais que possam controlar efetivamente os sintomas da DRGE e prevenir tais complicações.

Nesse contexto, o gel de Aloe vera demonstrou possuir várias ações antioxidantes, anti-inflamatória bem como propriedades analgésicas, anti proliferativas e antidiabéticas. Além disso, a A. vera também possui efeitos anti ulcerosos, cicatrizantes e anti microbianos, os quais podem ser relevantes para o tratamento da DRGE e suas comorbidades. 

Interpretando a Literatura

Um ensaio clínico randomizado, aberto e controlado recrutou pacientes com idade entre 18 e 65 anos diagnosticados com DRGE, dividindo-os em três grupos. Para estes foram ofertados xarope de A. vera (10mL uma vez ao dia), cápsula de omeprazol (20 mg uma vez ao dia) e comprimido de ranitidina (150 mg em jejum pela manhã e 150 mg 30 minutos antes de dormir à noite) por um período de 4 semanas, sendo que ao final a avaliação da eficácia do tratamento foi baseada nos sintomas.

As frequências de todos os sintomas de DRGE foram reduzidas na semana 2 e 4 de tratamento no grupo A. vera com uma tendência de melhora adicional e significativa nas frequências de azia, flatulência e arrotos. No grupo omeprazol, as frequências de todos os sintomas avaliados foram significativamente reduzidas em ambos os pontos de tempo (semanas 2 e 4), no entanto, a frequências de azia, flatulência, arrotos e regurgitação ácida mostraram reduções adicionais somente na semana 4 em comparação com a semana 2. E, no grupo ranitidina, as frequências de azia, flatulência, arrotos, náuseas, vômitos e regurgitação ácida foram significativamente reduzidos na semana 2 em comparação com a linha de base.

Refluxo e Aloe Vera

A partir da administração de A. vera é possível observar uma redução na inflamação gástrica e no tamanho de úlceras bem como aumento da proliferação de células epiteliais e crescimento da glândula gástrica. Além disso, o estresse oxidativo e a inflamação são fatores-chave na fisiopatologia da DRGE e, uma vez que a eficácia do gel de A. vera na redução dos sintomas da DRGE pode ser parcialmente atribuído aos seus ingredientes antioxidantes e antiinflamatórios, propõe-se que os mecanismos responsáveis por essa ação antioxidante incluem a eliminação de radicais livres, redução da peroxidação lipídica e regulação positiva de enzimas antioxidantes. 

Ademais, observa-se que a infiltração de leucócitos e as concentrações circulantes de TNF-y são reduzidas e seu efeito redutor na secreção de ácido gástrico se dá devido  à ação de lectinas presentes em A. vera, que inibem a captação de aminopirina pelas células parietais, reduzindo assim a secreção ácida.

Prática Clínica

Conforme os resultados analisados no estudo controlado randomizado fica claro a eficácia do xarope de gel de A. vera na redução dos sintomas comuns da DRGE, além das preparações de A. vera serem relativamente baratas e facilmente encontradas. Também deve-se considerar sua atividade terapêutica em outros distúrbios que podem acompanhar a DRGE como síndrome do intestino irritável, colite ulcerativa, diabetes tipo II e dislipidemia. 

Referências Bibliográficas

Sugestão de Leitura: Descubra a relação da nutrição com o refluxo gastroesofágico

Assista ao vídeo do curso Manejo de Doenças Gastrointestinais na plataforma Science Play – Inibidores da Bomba de Prótons (IBPs)

Panahi Y, Khedmat H, Valizadegan G, Mohtashami R, Sahebkar A. Efficacy and safety of Aloe vera syrup for the treatment of gastroesophageal reflux disease: a pilot randomized positive-controlled trial. J Tradit Chin Med. 2015 Dec;35(6):632-6. doi: 10.1016/s0254-6272(15)30151-5. PMID: 26742306.

Nos siga nas redes sociais

Mais lidas

Próximos eventos

Artigos relacionados